Create your survey with SurveyMonkey

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Senado gastará R$ 696 mil com aparelhos celulares para parlamentares






No apagar das luzes de 2014 e mesmo com um contrato de telefonia que prevê o fornecimento de aparelhos celulares, o Senado abriu procedimento licitatório para a compra de outros 360 aparelhos celulares de última geração que serão cedidos aos parlamentares que integrarão a próxima legislatura.

Ao todo, o Senado estima gastar R$ 696 mil com os novos aparelhos, que devem ser entregues a partir do mês de fevereiro. Os telefones serão destinados aos senadores que não quiserem utilizar os aparelhos corporativos do Senado. Nos corredores, fala-se que a distribuição de celulares faz parte de um “pacote de bondades” do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL) aos novos senadores.

Esta é a primeira vez que o Senado comprará aparelhos celulares para parlamentares que não querem utilizar modelos funcionais. A licitação prevê a compra de 90 iPhones 6 ou “similares”, com “tela retina HD de no mínimo 4,7 polegadas”; de 90 Samsungs Galaxy S5 com tela mínima de 5,1 polegadas e processador de 2.5 GHz Quad-Core; outros 90 “Motorolas Moto X ou similar”, com tela mínima de 5,2 polegadas e processador 2.5 GHz Quad-Core e mais 90 “Blackberrys Z10 ou similar”, com tela mínima de 4,2 polegadas e processador de 1.5 GHz Dual-Core.

A licitação dos novos celulares, marcada  para a última segunda-feira do ano, dia 29 de dezembro, foi pensada para os senadores que preferem usar linhas pessoais, a utilizar os aparelhos fornecidos pela Casa. O regimento interno permite que eles sejam ressarcidos pela Casa por esses gastos de telefonia.

Mas isso ocorre somente mediante cadastro prévio junto à administração do Senado. Na prática, nessa modalidade, o senador entra com o telefone e o Senado entra com a conta. Mas, pela primeira vez, a Casa pagará a conta e ainda dará o aparelho ao parlamentar.


http://4.bp.blogspot.com/-0gMJZThMRyE/UdP6il8sqWI/AAAAAAAADsw/D3RVNhMCSfw/s691/BARRA2.gif

Nenhum comentário: