Create your survey with SurveyMonkey

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Jovem morto com mangueira de ar no ânus e antes de morrer perdoou responsáveis pelo crime, diz mãe


“Ele falou assim: ‘mãe, eu perdoo, mas não quero eles perto de mim.’ Eu, como mãe, fiquei olhando para ele, tanto amor dentro do coração que ele perdoou e pediu justiça. Falei: meu filho, você vai ter a justiça”.


O relato emocionado foi feito nesta quinta-feira (16) pela dona de casa Marasilva Moreira da Silva, mãe de Wesner Moreira da Silva, de 17 anos. O adolescente morreu depois de ser agredido com uma mangueira em um lava-jato de Campo Grande. Ele foi enterrado na tarde de quarta-feira (15).

O garoto ficou 11 dias internado na Santa Casa da capital sul-mato-grossense antes de morrer. Ele teve uma mangueira de compressão colocada perto do ânus durante uma suposta brincadeira do dono do lava-jato e um funcionário do local, que era amigo da família. O jato de ar causou diversas lesões e fez o garoto perder parte do intestino.


Suspeitos de agredir adolescente com mangueiraem lava-jato de MS

Durante os dias no hospital, ele contou para a família detalhes sobre a agressão que sofreu e pediu que os suspeitos fossem presos. O delegado Paulo Sérgio Lauretto, que investiga o caso, pediu a prisão preventiva do dono do lava-jato, Thiago Demarco Sena, de 26 anos, e do funcionário Willian Henrique Larrea, de 30, e aguarda decisão da Justiça.

O advogado dos suspeitos, Francisco Guedes Neto, disse na quarta-feira (15) que tem conhecimento do pedido de prisão, mas afirmou que, por enquanto, não vai se pronunciar a respeito.

“Ele falou até com a advogada, falou ‘cuida do meu caso, eu quero que eles paguem pelo que fizeram comigo’. Então, não é um pedido só meu ou só do pai dele, foi um pedido dele mesmo”, recordou a mãe de Wesner.


Pais lamentam morte de adolescente agredido com mangueira


 (Foto: Domingos Lacerda/ TV Morena)

Nenhum comentário: