Postagens Recentes

Solla chama Bolsonaro de 'lunático' e defende ações do governo da Bahia contra coronavírus


Presente na inauguração da Central Integrada de Comando e Controle da Saúde do Estado da Bahia, na manhã desta terça-feira (17), em Salvador, o ex-secretário de Saúde e atual deputado federal Jorge Solla (PT-BA) criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro no enfrentamento do coronavírus no país e destacou as medidas tomadas por parlamentares e pelo governo baiano para conter a epidemia. 

Solla parabenizou o governador Rui Costa e o atual secretário de Saúde, Fábio Vilas-Boas pela inauguração da central, apontando que o equipamento pode ser decisivo no combate ao Covid-19. “Vamos ampliar as condições de funcionamento de estruturas que já existem, de equipes que já existem, com melhores condições de trabalho, ambiente mais adequado, novas modalidades de equipamentos e ferramentas de informatização. Isso vai ser muito útil num momento difícil como esse”, avalia.

Para o parlamentar, no entanto, a postura da gestão federal não condiz com a gravidade da situação. “Dos 200 casos existentes no Brasil, na verdade 6% eram da comitiva do presidente da República, isso é um absurdo. E o presidente descumpre o isolamento, descumpre as medidas de controle que o próprio governo está buscando implantar junto à população de forma correta. Estamos muito preocupados porque as ações que o Ministério da Saúde tem feito de forma cuidadosa, com a  preocupação devida, estão sendo, eu diria, sabotadas pelo próprio presidente”, alertou.



MEDIDAS DO LEGISLATIVO

Jorge Solla destacou as medidas tomadas pelo Legislativo para enfrentar a epidemia do coronavírus no país. “Depois daqui estamos indo para Brasília, o foco de amanhã da Câmara dos Deputados é a aprovação da liberação de recursos financeiros do orçamento federal para que as medidas necessárias sejam efetivadas. Contratação de leitos, compra de equipamentos… Mas precisamos ir além”, disse o baiano, lembrando que na última semana foi criada uma Comissão Especial com dez parlamentares, da qual ele faz parte, para fazer o acompanhamento da epidemia. “Na semana passada nós fizemos a reivindicação, entregamos pessoalmente ao ministro, a necessidade de proibir as exportações de máscaras, luvas e álcool gel, de fazer o tabelamento de preços”, informou, denunciando a cobrança de preços abusivos de itens necessários para o combate ao coronavírus, a exemplo de caixa de máscaras cirúrgicas que custavam R$ 4,70, mas estavam sendo comercializadas por R$ 160. “ Isso é algo completamente absurdo, uma exploração descabida que o governo federal precisa tomar medidas. Em outros países já foram tomadas medidas dessa natureza”, salientou.



AEROPORTOS

Outro ponto crítico apontado pelo parlamentar é a questão da entrada de pessoas no estado. “Vamos continuar o acompanhamento e reiterar também outra ação importante, que é a garantia da fiscalização dos aeroportos. O aeroporto de Salvador passou dezembro, janeiro e fevereiro sem plantões nos horários que chegam os voos internacionais. Em função da nossa denúncia e da pressão em cima da Anvisa, eles retomaram os plantões no início de março, só que está cheio de furos, temos várias denúncias de voos que chegaram e não teve nenhum servidor da Anvisa para abordar”, afirmou o ex-secretário de Saúde da Bahia. 


IMPEDIMENTO DE BOLSONARO

Diante da postura Jair Bolsonaro no enfrentamento da crise, Solla foi bastante enfático, destacando a falta de preparo do presidente. “Pelo que eu sei, inclusive hoje deve estar sendo dando entrada pedidos dessa natureza [pedidos de impeachment]. Vários partidos tem se movimentado, não só o PT, mas o PDT e até o PSDB estão se movimentando nesta perspectiva”, disse o deputado. Um dos pedidos seriam do ex-aliado Alexandre Frota (PSDB). Outra ex-aliada que também fez duras críticas a Bolsonaro foi a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP), que chegou a pedir a renúncia do presidente.


Para Jorge Solla, o comportamento do chefe do Executivo é incompatível com a importância do cargo e é perigosa a naturalização de tais atitudes. “O que eu fico preocupado é que as insanidades do presidente Bolsonaro são tantas, os crimes de responsabilidade que ele já praticou são tantos, que está se tornando banal. Todo mundo está achando que o presidente da República pode dar banana para jornalista, atacar mãe de repórter, pode circular contaminando as pessoas… Parece que nós vivemos num país onde a insanidade passou a ser o dia-a-dia. E eu fico preocupado porque a gente começa a se acostumar, como se isso fosse natural”, disse o baiano, que questionou: “Eu pergunto se presidentes anteriores dessem uma banana para repórter, se no outro dia ele não seria crucificado em praça pública. Mas é Bolsonaro…”.


Em tom ainda mais duro, Solla afirmou ainda que as pessoas “não podem acostumar em ter um presidente lunático, insano”. Segundo ele, as ações do presidente afetam a vida das pessoas e que em uma crise como a que estamos vivendo, “mais do que nunca nós precisamos de pessoas responsáveis, que tenham capacidade política de dar conta desse desafio, o que não é o caso dele, infelizmente”. 


Por Lucas Arraz / Jamile Amine/Bahia Notícias

Nenhum comentário